gallery/arvore

CTT - Curso de marcenaria

CTT : 30 anos

1987/2017

gallery/fotoscelularoficina 208-1
gallery/coluna
gallery/coluna

Anatomia da madeira

Os adesivos, tintas, vernizes, ferragens e acessórios são indispensáveis numa marcenaria, mas o destaque em termos de valor e volume fica por conta das madeiras. São também muito utilizadas em trabalhos de torno e marchetaria.

Sob forma de pranchas de madeira maciça ou de chapas industrializadas, devem ser sempre adquiridas pelo marceneiro, de fornecedores idôneos.

Independentemente de quantidade, origem ou tipo é fundamental saber selecionar a matéria-prima descartando aquelas peças ou lotes com defeitos que possam reduzir o índice de aproveitamento do material adquirido.

Em se tratando de madeira maciça, cuidados adicionais devem ser tomados, tanto na seleção como na aplicação.

Sabemos que a parte da árvore adulta economicamente aproveitável para fins de marcenaria e carpintaria é o tronco, e quanto mais regular ele for, melhor será seu aproveitamento.

As toras obtidas dos troncos são desdobradas em pranchas, utilizando-se diversos métodos de corte, que levam em consideração a posição dos anéis de crescimento da árvore.

A CORTIÇA é a capa externa protetora das árvores e é formada por células mortas.

O LÍBER é um tecido protegido pela Cortiça e transporta os alimentos sintetizados nas folhas.

O CÂMBIO é uma camada delgada de tecido celular vivo que vai formando a madeira nova e a cortiça.

Os ANÉIS DE CRESCIMENTO são indicativos da idade da árvore, pois na maioria das espécies, o espaçamento entre dois anéis é o tanto que a árvore cresceu num período vegetativo.

O ALBURNO, cujas células transportam ou armazenam nutrientes minerais, constitui a madeira nova, de formação mais recente, e normalmente é de cor mais clara, distinta do Cerne, que é a camada mais interna, mais escura e de maior espessura.

O CERNE constitui a coluna de sustentação da árvore.

O profissional competente tem que saber selecionar as pranchas com a posição dos anéis de crescimento mais adequada para cada aplicação e fazer acoplamentos apropriados para evitar o desagradável e prejudicial efeito do empenamento.

PLANOS DE REFERÊNCIA PARA CORTES EM RELAÇÃO AOS ANÉIS DE CRESCIMENT0

gallery/i-01-01

Corte transversal de um tronco

gallery/i-01-04 (2)
gallery/i-01-06

Tora de madeira

gallery/i-01-02

Superficie de Corte radial

Superficie de Corte

tangencial